23   Jan
2020
Viagem
Coluna da Célia Villela

UMA EXPERIÊNCIA NA ÁSIA- NA ESSÊNCIA SOMOS TODOS IGUAIS.  Por Célia Villela
 
Singapura, Thailandia, Camboja e Laos é o roteiro que Luciana Gasparini Ribeiro faz com a família pela Ásia. Viagem para ficar na memória, no aroma, nas reflexões desses dois mundos tão diferentes, entre Ocidente e Oriente, porém, na essência do ser humano tão iguais. Luciana e o Blog Célia Villela conversaram enquanto a viagem acontece em fusos horários bem diferentes. Leiam nosso bate-papo.
BCV- O que esta viagem traz para seu mundo interior?
Luciana Gasparini Ribeiro: Me traz mais admiração pela cultura oriental oriental, que cultiva o momento presente, paciência e aceitação. 

BCV– Por isso você tem buscado um mundo interior mais rico, por meio da prática do Mindfiness, que busca da atenção plena?
Luciana - A prática de mindfulness que praticamos no Ocidente é totalmente laica, mas entrar em contato com culturas que praticam meditação, e tem como filosofia a presença é muito rico. Nos faz refletir sobre como trazer mais tranquilidade para nossas vidas.

BCV- Algo nesta viagem teria lhe chamado mais atenção?
Luciana- O povo de Laos tocou mais meu coração, além, claro, de todos monumentos e paisagens lindas que vimos por aqui.

BCV- Por que o povo de Laos tocou mais seu coração?
Luciana- Porque, apesar deste povo ter sofrido tanto, as pessoas são muito gentis e autênticas. É um dos países mais pacíficos do mundo

BCV- Esta viagem é uma experiência transformadora pra sua vida?
Luciana- Não diria transformadora, mas sim uma viagem que conversa com o que estou procurando praticar em minha vida neste momento. Inspiradora!

BCV- Por que você buscou esse caminho?
Comecei praticar a atenção plena como autocuidado, autoconhecimento e para ter mais saúde física e mental. Sempre fui muito ansiosa e a prática mudou muito a forma de me relacionar com a vida hoje.

BCV- Qual foi sua sensação ao lado da mulher girafa de Chiam Mai, Tailândia?
Luciana- Consegui enxergar a beleza da autenticidade daquelas mulheres, a beleza do olhar, da alma.
Apesar de sermos totalmente diferentes culturalmente, fisicamente e geograficamente, somos sempre semelhantes como seres humanos. Consegui sentir que somos iguais, que a humanidade que compartilhamos é igual, e o mais bonito! Senti o sagrado da experiência.

Compartilhe
0 Comentário (s)

Envie o seu comentário sobre a matéria, será um prazer saber o que você achou.

Nome: *
E-mail: *
Mensagem: *
Digite o Código:
   
 

© 2013 Blog da Célia Villela - Todos os Direitos Reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia da jornalista Célia Villela.